Projeto quer obrigar inclusão de redação em concursos públicos na Paraíba

16 nov 2017

Um projeto proposto pela Polícia Civil da Paraíba promete repercutir no estado da Paraíba. A proposta que tem como finalidade obrigar os concursos públicos a exigirem redação, para aferição dos candidatos, foi apresentada pela Adepdel ao deputado estadual Raniery Paulino (PMDB), na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB). O parlamentar deve defender a matéria para que seja aprovada pelos demais deputados. A medida coibiria fraudes nos concursos.

“Eu recebi a Adepdel em meu gabinete, especialmente o delegado Lucas Sá, que tem feito um trabalho destacado em todo o Brasil sobre o desbaratamento de crimes em concursos públicos, naquela operação Gabarito, e ele me trouxe uma sugestão, que já é realidade no estado do Piauí”, explicou Paulino.

O projeto obrigaria as provas discursivas, ou seja, redação. “Justamente para se verificar como é o comportamento do concurseiro em relação a questões gramaticais, questões de português, a conexão das ideias, isso criaria um ambiente que dificultaria a fraude no concurso público. Foi uma sugestão que eu achei pertinente, achei importante, recepcionei e já demos entrada num projeto de lei para fazer essa discussão, tanto na Comissão de Educação, Comissão de Constituição e Justiça, como também em plenário buscando a contribuição dos demais parlamentares”, disse Paulino.

Projeto quer obrigar inclusão de redação em concursos públicos na Paraíba
POSTADO EM 15/11/2017LEITURA FOCADAProjeto quer obrigar inclusão de redação em concursos públicos na Paraíba
Um projeto proposto pela Polícia Civil da Paraíba promete repercutir no estado da Paraíba. A proposta que tem como finalidade obrigar os concursos públicos a exigirem redação, para aferição dos candidatos, foi apresentada pela Adepdel ao deputado estadual Raniery Paulino (PMDB), na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB). O parlamentar deve defender a matéria para que seja aprovada pelos demais deputados. A medida coibiria fraudes nos concursos.

“Eu recebi a Adepdel em meu gabinete, especialmente o delegado Lucas Sá, que tem feito um trabalho destacado em todo o Brasil sobre o desbaratamento de crimes em concursos públicos, naquela operação Gabarito, e ele me trouxe uma sugestão, que já é realidade no estado do Piauí”, explicou Paulino.

O projeto obrigaria as provas discursivas, ou seja, redação. “Justamente para se verificar como é o comportamento do concurseiro em relação a questões gramaticais, questões de português, a conexão das ideias, isso criaria um ambiente que dificultaria a fraude no concurso público. Foi uma sugestão que eu achei pertinente, achei importante, recepcionei e já demos entrada num projeto de lei para fazer essa discussão, tanto na Comissão de Educação, Comissão de Constituição e Justiça, como também em plenário buscando a contribuição dos demais parlamentares”, disse Paulino.

“Foi aprovado no Piauí um projeto de regulamentação de concursos, estabelecendo algumas mudanças positivas, como a obrigatoriedade da prova de redação em todos os cargos. Em algumas fraudes são aprovados analfabetos no serviço público”, disse o delegado Lucas Sá.

Segundo ele, o projeto dispõe sobre a obrigatoriedade da permanência na sala de prova em pelo menos 70% do período

“Candidatos só poderão sair do local de prova após 70% do tempo, dando menos tempo para que potenciais fraudadores possam transmitir as respostas”, explicou o delegado. “Do jeito que está, chega a ser ‘fácil’ pra eles fraudarem determinados concursos. Eles zombam das instituições e comemoram o sucesso nas fraudes”, acrescentou Lucas.

 

Click PB

 

[related_post]