OPOSIÇÕES: se forem pra Guerra, TÊM que escolher um comandante preparado

16 abr 2018

O processo eleitoral da Paraíba de 2018, assim como em nível nacional, será uma das maiores guerras por votos de todos os tempos.

Se parte das oposições da Paraíba estiver pensando que tem moleza pela frente, pode ter que ir pro chuveiro já no 1º turno.

Se o combate for com um ex-super-secretário, articulado, inteligentíssimo, bom de debate, de um governo que em determinadas regiões do estado chega a ter até quase 80% de aprovação, juntando a tudo isso um governador que abriu mão de uma vaga de senador, por 8 anos, permanecendo na máquina para comandar pessoalmente o processo, para uma possível sucessão, não pode ser moleza não, papai!!

Por isso, com todo respeito ao irmão do prefeito da Capital, Lucélio Cartaxo, não acredito que ele consiga sustentar sua possível candidatura ao governo até o final de Junho.

Essa parte da oposição que se apresentou com os Cartaxo pode ter que rever a decisão e um dos nomes mais prováveis, pode vir a ser o do vice-prefeito da capital, Manoel Júnior.

Claro que se houver essa decisão por parte dos partidos que formam esse bloco de oposição, podendo até, quem sabe, o nome de Manoel Júnior se tornar um consenso real de todos as oposições, ele deve sofrer vários ataques para tentar lhe desqualificar, com aquele velho denuncismo, que inclusive pode ser ou não verdade, afinal, denúncia foi feita para apurar.

Mas acredito, que com relação ao nível das estratégias dos girassóis, o atual vice-prefeito de João Pessoa deve estar já acostumado.

Particularmente, considero Manoel Júnior o mais preparado, devido a vários atributos pessoais e pela sua experiência pública: médico cirurgião, diga-se de passagem bem sucedido, já foi prefeito da sua cidade natal, Pedras de Fogo, por três vezes, deputado estadual, deputado federal, e vice-prefeito da capital por duas vezes. Foi escolhido uma vez por Ricardo Coutinho e outra por Luciano Cartaxo.

Entretanto, as qualidades que mais podem credenciar Manoel Júnior para ser o candidato das oposições ao governo do estado são: nome independente de linha política familiar, que atualmente faz muita diferença, experiência administrativa, pleno conhecimento do poder legislativo, qualidade nos debates e segurança na apresentação das ideias, além do principal para quem pensa em enfrentar Ricardo Coutinho, muita CORAGEM.

A briga vai ser bonita!

Opinião – Jornalista MILTON FIGUEIREDO

[related_post]