NA PARAÍBA: Coveiros não chegam a tempo de sepultamento e família é obrigada a fazer cova

11 abr 2019

Uma cena incomum provocou revolta na população de Pombal nesta semana. O coveiro responsável pelo Cemitério Municipal localizado no Sítio Arruda Câmara, na Zona Rural da cidade, não compareceu ao trabalho e os próprios parentes tiveram que fazer a cova para conseguir sepultar um ente querido.

O caso teria acontecido terça-feira (09) e foi levado até a tribuna da Câmara Municipal de Pombal pelo vereador Edno Dantas. Ele fez duras críticas à gestão e relatou o ocorrido que provocou a indignação dos familiares. “A família se sentiu em uma situação constrangedora”, ressaltou.

De acordo com Edno, “os coveiros disseram que a moto furou o pneu. E quando ligaram para os responsáveis na Prefeitura, receberam a ordem de voltar empurrando a moto pra Pombal”.

A família havia informado a Prefeitura sobre o sepultamento e aguardava o trabalho dos coveiros para as 7h. O sepultamento estava marcado para as 09h30 e como os coveiros não chegaram a tempo, a família precisou abrir a cova.

Além disso, o vereador enumerou outras reivindicações que não foram atendidas pela Prefeitura de Pombal. Dentre o que havia sido pedido pela comunidade está a limpeza do cemitério e a construção de uma capela e de um tanque.

A Prefeitura foi contactada para se posicionar sobre o caso, mas não deu retorno.

Redação Paraíba Debate com informações do Click Paraíba

[related_post]