Dom Aldo retira parte do intestino e segue internado em Fortaleza

4 dez 2017

Arcebispo emérito da Paraíba passa bem após cirurgia de apêndice.

ANGÉLICA NUNES

O arcebispo emérito da Paraíba, Dom Aldo Pagotto, 68 anos, foi submetido a uma cirurgia de apêndice em um hospital particular de Fortaleza, no Ceará. Ele foi internado no último sábado (2) para realização da cirurgia. Durante o procedimento foi retirado parte do intestino do religioso.

Em nota, a assessoria de imprensa da Arquidiocese da Paraíba relatou que Dom Aldo começou a sentir fortes dores abdominais na tarde do último sábado, quando foi levado ao hospital, onde foi aplicada morfina. Como as dores não cessaram, o médico cirurgião decidiu levá-lo para a sala de operações para identificar a causa das dores. “A cirurgia começou à meia-noite e meia. Foi verificado que o apêndice estava totalmente obstruído e parte do intestino com bastante secreção de pus. Por causa disso, foram retirados o apêndice e o intestino grosso.A cirurgia terminou às 4h da madrugada do domingo. “, descreve a nota.

Segundo informações da médica Dina Cortez, que está acompanhando o arcebispo durante a internação, Dom Aldo está com o quadro estável e sem risco de morte, mas deve ficar hospitalizado pelos próximos dias, enquanto sai também o resultado da biópsia do material que foi coletado. “Ele deve ficar internado de 5 a 7 dias para recuperação e vai pra casa”, informou à CBN João Pessoa.

No site da Congregação do Santíssimo Sacramento, e em sua página no Facebook, a ordem pede orações pela restabelecimento do arcebispo emérito.

Pedido de oração por Dom Aldo Pagotto,sssPedimos à todos orações por Dom Aldo Pagotto,sss, que encontra-se hospitalizado em Fortaleza para tratamento de saúde.Que Deus o abençoe e o restabeleça!

Publicado por Província Nossa Senhora de Guadalupe em Segunda, 4 de dezembro de 2017
Afastamento
Dom Aldo deixou a Arquidiocese da Paraíba em julho do ano passado, após o Papa acatar o pedido de renúncia apresentado por ele, alegando “causa grave ou doença”. Em junho de 2011, o bispo tinha iniciado um tratamento contra um câncer de próstata.

Além de problemas de saúde, o arcebispo emérito foi envolvido em denúncias de pedofilia e exploração sexual de menores envolvendo outros padres da Igreja Católica. Na carta aos fiéis, ele pontua os problemas por que passava. “Tentei doar o melhor de mim mesmo, não obstante as sérias limitações de saúde, ademais das repercussões no equilíbrio emocional, causadas pela constante necessidade de superar conflitos inevitáveis, advindos de reações ao meu modo de ser e de agir”, afirma.

Matéria atualizada às 11h36.

 

[related_post]