Bancos de Leite Humano da Paraíba são contemplados com certificados de qualidade

14 dez 2018

Os seis Bancos de Leite Humano da Paraíba foram contemplados, na tarde desta quinta-feira (13), com os certificados de qualidade pelo Programa Ibero-Americano, do Ministério da Saúde e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). A entrega dos títulos aos representantes de cada serviço, além da II Reunião Ordinária da Comissão de Bancos de Leite Humano, aconteceu durante o I Congresso da Rede de Banco de Leite Humano (RBLH), realizado na sala da Rede Universitária de Telemedicina (RUTE) do Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW), em João Pessoa.

A certificação avalia os serviços em conformidade com o padrão de qualidade solicitado, de acordo com a quantidade de equipamentos, qualificação dos profissionais e o nível de qualidade dos serviços para o ano vigente. Este ano receberam o certificado de credenciamento os Bancos de Leite Humano Anita Cabral, em João Pessoa, o Josefa Garcia Rolim, em Cajazeiras, o Dr. Virgílio Brasileiro, que funciona no Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea), em Campina Grande, o Dra. Zilda Arns, que funciona na Maternidade Cândida Vargas, em João Pessoa, e o Vilani Kehrle, localizado na Maternidade Peregrino Filho, em Patos, além do Banco de Leite Merijane Claudino da Silva, em Guarabira.

De acordo com a diretora geral do Banco de Leite Humano Anita Cabral, Thaise Ribeiro “conseguir cadastrar todos os bancos de leite do estado é uma prova de que os investimentos na rede, na capacitação dos profissionais de saúde e na melhoria dos equipamentos e da estrutura física das unidades estabelecem para a população a certeza da garantia de um excelente cuidado que os filhos de todas as paraibanas, usuários dos leitos neonatais, recebem o melhor produto, com a melhor qualidade para a recuperação do seu quadro clínico”, defendeu.

Para a diretora do banco de leite humano Josefa Garcia Rolim, em Cajazeiras, o título é extremamente importante para a equipe, pois assegura a qualidade do serviço, além de ser um estímulo constante para a melhoria no processo de trabalho.

Programa Ibero-Americano – Foi iniciado em 2012 e o processo de credenciamento dos bancos de leite é realizado anualmente, sendo que desde 2014 foram credenciadas todas as seis unidades da Paraíba. O programa é uma iniciativa resultante de um convênio com a coordenação da Saúde da Criança e Aleitamento Materno, do Ministério da Saúde, com a coordenação do Centro de Referência Nacional para Banco de Leite Humano, da Fiocruz, e configura-se em uma ação estruturante e reguladora, para garantir o funcionamento das unidades dentro dos padrões de qualidade já normatizados.

São 23 países da América Latina, Europa e África que integram o Programa Ibero-Americano de Bancos de Leite Humano (IberBLH), liderado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no qual se encontra o Centro de Referência Nacional para Bancos de Leite Humano do Instituto Fernandes Figueiras, coordenado pelo Doutor em Saúde Pública João Aprígio Guerra de Almeida.

Thaise Ribeiro ressaltou ainda que o processo de credenciamento este ano passou por uma restruturação pelo Ministério da Saúde, sendo necessário que os bancos de leite atentem cada vez mais para critérios mais rigorosos no seu funcionamento e alimentação de dados no sistema de produção, para que o serviço atenda os requisitos para habilitação, a exemplo disso, a exigência da equipe capacitada, os equipamentos em perfeito estado de manutenção e com a comprovação de manutenção preventiva, além dos ensaios de proficiência.

Rede – A Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano é uma iniciativa do Ministério da Saúde e da Fiocruz, com o objetivo de promover a saúde da mulher e da criança, por meio da construção de alianças com órgãos federais, estaduais e municipais, iniciativa privada e toda sociedade, no âmbito da atuação de Bancos de Leite Humano (BLH), que têm se configurado como uma das mais importantes estratégias da política pública em favor da amamentação.

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde e do Centro Estadual de Referência para Bancos de Leite Humano Anita Cabral, responsável por coordenar a Rede de Bancos de Leite do Estado, tem como meta em seu plano de saúde o fortalecimento da saúde materno e infantil e a redução da sua morbimortalidade, com uma de suas diretrizes a expansão da rede de bancos de leite no Estado.

Nessa dinâmica, a Rede Paraibana de Bancos de Leite Humano conta atualmente com a maior rede de serviços oferecidos à população, ocupando o primeiro lugar na Região Nordeste, com 27 equipamentos, sendo 21 postos de coleta e seis bancos de leite, responsáveis pela promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno, além da execução da coleta do excedente de produção láctea da nutriz, seu processamento, controle de qualidade e distribuição aos recém-nascidos prematuros e com baixo peso do nosso Estado. Em relação ao Brasil, apenas São Paulo e Minas Gerais, respectivamente, possuem maior número de postos e bancos de leite que a Paraíba.

Balanço – De janeiro a novembro de 2017, foram realizadas 10 mil visitas domiciliares, proporcionando o atendimento a mais de 90 mil mulheres em toda a Paraíba, sendo coletados 6,8 mil litros de leite, beneficiando 6,6 mil bebês com a colaboração de seis mil doadoras.

 entre janeiro e novembro deste ano, foram realizadas 10,2 mil visitas domiciliares, proporcionando o atendimento a 120 mil mulheres em toda a Paraíba, sendo coletados 7,2 mil litros de leite, beneficiando 11 mil bebês com a colaboração de 6,5 mil doadoras.

Nos últimos oito anos a rede quase dobrou a coleta de leite materno do Estado, saindo de 4,7 mil litros de leite coletados, em 2010, para 7,2 mil litros, em 2018. Dobrou também o número de bebês beneficiados com o leite pasteurizado pelo banco, que em 2010 foram atendidos mais de cinco mil receptores de leite, enquanto em 2018 foram mais de 11 mil crianças que receberam esse produto.

Funcionamento no final de ano: Os bancos de leite funcionam em expediente administrativo, das 7h às 16h30. Já os postos de coleta, localizados nas maternidades, funcionarão em regime de plantão, ou seja, 24h por dia.

Thaise Ribeiro orienta que a doadora que for viajar poderá continuar fazendo a doação, caso tenha um banco ou posto de coleta no local onde esteja.

Doação de leite – Para ser doadora de leite, é só procurar o banco ou posto de coleta de leite humano mais próximo, estar saudável e amamentando o filho, além de ter excesso de produção de leite.

O serviço de Rota Domiciliar irá até a residência da doadora e entregará o Kit Doação (frascos de vidro esterilizado, luvas, gorro e máscara).

Além disso, a equipe prestará todas as orientações para o correto armazenamento e ainda vai semanalmente ao domicílio da mãe para coletar a doação. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: 3215-6047.

Secom-PB

[related_post]